Não existe educação sem cultura

Projeto Elipse leva público recorde ao Cine Odeon

 

Graças à Mostra Elipse de Curtas-Metragens, com exibição dos 12 filmes selecionados e financiados pelo programa de fomento ao curta universitário, uma parceria entre a Fundação Cesgranrio e a Secretaria de Estado de Cultura, o Cine Odeon ganhou, no dia 20 de setembro, mais um motivo para comemorar: nessa noite, o local recebeu aproximadamente 800 pessoas, recorde após sua reinauguração, há quase um ano e meio.

É importante lembrar que o icônico Cine Odeon, localizado na Cinelândia, é um dos espaços mais clássicos do Brasil para exibições cinematográficas. Cinéfilos de todo o país sofreram quando foi anunciado, em 2014, o fechamento temporário do local, em função de dívidas e problemas estruturais. No entanto, em maio de 2015, os fãs da sétima arte foram recompensados com a reabertura do espaço, atualmente administrado pelo Grupo Severiano Ribeiro.

 

A resposta do público-alvo ao projeto foi tão positiva que decidimos abrir um novo edital do Elipse até o final de outubro.

Lia Bahia
Coordenadora geral do Desenvolvimento Audiovisual da SEC

 

A sessão da mostra foi aberta por Leandro Bellini, secretário executivo do Centro Cultural Cesgranrio, e Marcelle Darrieux, gerente do Desenvolvimento Audiovisual da SEC. Eles agradeceram a presença do animado público – formado, em sua maioria, por jovens universitários, professores e cineastas – e explicaram o objetivo da iniciativa. Em seguida, teve início a exibição dos curtas.

Ao fim da mostra, foram anunciados os três destaques da noite: “Infinito Periódico”, “Roques de Quarto” e “Pele Suja Minha Carne” (saiba mais sobre eles abaixo). Os filmes foram escolhidos pela Comissão de Seleção dos Projetos, composta pelo diretor Bruno Safadi, a atriz Karine Telles e Afra Gomes, do Canal Brasil. Os idealizadores das obras receberam o troféu Prêmio Elipse 2016 e terão seus curtas adquiridos pelo Canal Brasil, parceiro da iniciativa, para fazerem parte de seu acervo.

Ao fim da premiação, a plateia vibrou com um anúncio feito por Lia Bahia, coordenadora geral do Desenvolvimento Audiovisual da SEC:

– A resposta do público-alvo ao projeto foi tão positiva que decidimos abrir um novo edital do Elipse até o final de outubro. Além disso, vamos fazer adaptações ao projeto, conforme as sugestões dos participantes. Uma delas, por exemplo, será o aumento da minutagem máxima dos curtas, que foi um dos pedidos que mais recebemos dos produtores – concluiu Lia, sob aplausos.

 

  • Todos os participantes do projeto ELIPSE subiram ao palco para uma grande foto

 

 

Destaques da noite


“Infinito Periódico”, de Gabriel Ritter e Leandro Luz (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro – IFRJ)

Infinito Periódico gira em torno da obsessão do protagonista, Marcelo, por um célebre jogo eletrônico vintage, em que o preço da vitória por se chegar à última fase pode ser demasiado caro em termos éticos e morais. Conflitos do presente e do passado envolvendo sua namorada, Bia, e seu melhor amigo, Edu, culminam num frenesi violento e perturbador, alterando o destino de Marcelo e de todos ao seu redor.


“Roques de Quarto”, de Helena Lessa, Jorge Polo, Lívia de Paiva, Lucas Andrade e Petrus de Bairros (Universidade Federal Fluminense – UFF)

Evandro está voltando do trabalho para casa quando percebe uma coisa estranha no céu. Letícia e Santos colam lambe-lambes nos muros de uma rua. Na mesma noite, uma frequência misteriosa invade a fita em que Felipe grava suas composições em casa. O som de muitos tempos embala o presente.


“Pele Suja Minha Carne”, de Bruno Ribeiro (UFF)

Após uma pelada com seus amigos brancos, João reflete sobre sua própria imagem, seus sentimentos e sua sexualidade.


Demais curtas contemplados


“O Poste”, de Lucas Abreu e Gabriela Giffoni (Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ)

“Pedacinho do Céu”, de Caio Alvarenga (Universidade Estácio de Sá – UNESA)

“Pequenos Animais Sem Dono”, de Maju de Paiva (UFF)

“Gira”, de Filipe Galvão (UFF)

“Transbaixada”, de Renan Collier (IFRJ)

“Vestido Sujo de Sangue”, de Rodrigo Freitas (UFF)

“A Cozinha Caiçara”, de Karen Garcia (Centro Universitário de Volta Redonda – UniFOA)

“Vazio do Lado de Fora”, de Eduardo Brandão Pinto (UFF)

“Interferência 2.0”, de Lucas Afonso, Igor Leite e Kadu Barros (UFRJ)

 

Carlos Alberto Serpa

Presidente da Fundação Cesgranrio

Neste programa de fomento ao curta universitário, não apenas estimulamos a produção cultural no ensino superior, como também damos a oportunidade de jovens estudantes praticarem diferentes ofícios do cinema antes mesmo de saírem para o mercado de trabalho. Além disso, promovemos o reconhecimento social dos resultados alcançados, através da exibição dos curtas e da premiação aos que se destacaram. É com enorme alegria que entregamos à sociedade mais essa significativa contribuição para a cultura.

Eva Doris Rosental

Secretária de Estado de Cultura do Rio de Janeiro

O exercício da produção de curtas-metragens, formato pelo qual tantos cineastas ousaram e construíram suas carreiras, permite a experimentação e é essencial para o aprimoramento da linguagem cinematográfica. O Rio de Janeiro tem um grande potencial de expansão para a atividade, e isso é latente em todo o estado, que se mostra e avança a cada projeto desenvolvido pelos polos audiovisuais de Barra do Piraí e de Nova Friburgo.

  • Equipe do filme “Infinito Periódico”
  • Equipe do filme “Roques de Quarto”
  • Equipe do filme “Pele Suja Minha Carne”