Não existe educação sem cultura

Elipse – Programa Estadual de Fomento ao Curta Universitário

Elipse - Concurso de Fomento ao curta universitário - cultura - Cesgranrio

A Fundação Cesgranrio e a Secretaria de Estado de Cultura definiram, na última segunda, 13 de março, a relação de proponentes contemplados no segundo edital Elipse – Programa Estadual de Fomento ao Curta Universitário. Cada um dos autores dos 12 projetos vai receber R$12.500 reais para realização de curta-metragem. Confira abaixo a lista:

 

  • A Casa de Ana – Clara Ferrer (UFF)
  • A Imperfeição Revestida – Gabriela Gonçalves Moreira (ESPM)
  • A Poeira Não Quer Sair do Esqueleto – Daniel Santiso Malheiro Carvalho da Silva (UFRJ)
  • Batalhas de Rep – Marcelo Serrano Lopes (UFF)
  • Convite Vermelho – João Victor Almeida Ferreira Silva (UFF)
  • Dando Asas À Imaginação – João Marcos Nascimento Resende (UFF)
  • Estranhas – Elena Thayná Goes Rodrigues Macedo (UFF)
  • Inconfissões – Ana Carolina Galizia (UFF)
  • Tambor: O Chamado Dos Orixás – Anna Carolina Bastos Franchini Affonso (IFRJ)
  • Terra De Lobo – Igor Leite Araújo (UFRJ)
  • Tipo Sangue – Lucas Fratini Albuquerque Gonçalves (UFF)
  • Um Jardim Singular – Monica Rodrigues Klemz (Universidade Estácio de Sá)

 

Nessa edição, lançada em novembro do ano passado, foram recebidas 120 inscrições, oriundas de nove instituições de ensino superior fluminenses. Após a conclusão da produção dos curtas, eles serão exibidos em uma mostra e os três melhores serão eleitos por uma comissão formada por profissionais de Cinema e TV.


Elipse – Programa Estadual de Fomento ao Curta Universitário

Entrega do Prêmio da 1ª edição do Elipse

 Mais informações no site da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro

 

 


A segunda edição do Programa Estadual de Fomento ao Curta Universitário – Elipse, realizado em parceria entre a Fundação Cesgranrio e a Secretaria de Estado de Cultura, recebeu 120 inscrições.

Aberto a estudantes universitários dos cursos de Comunicação Social, Cinema e TV, Rádio e TV, Estudos de Mídia, Produção Cultural, Cinema e áreas afins, o edital Elipse vai selecionar 12 projetos de curta-metragem para apoio total de realização, com o valor de R$ 12.500,00 para cada um. A produção deverá ter duração mínima de cinco minutos e de, no máximo, 20.

A divulgação das propostas contempladas acontecerá em março.


 



Estudantes universitários dos cursos de Comunicação Social, Cinema e TV, Rádio e TV, Estudos de Mídia, Produção Cultural, Cinema e áreas afins podem inscrever produções de curtas-metragens para a segunda edição do Elipse até o dia 20 de dezembro. Mais informações estão disponíveis no site http://www.cultura.rj.gov.br/elipse2/.


A chamada pública vai selecionar 12 projetos de curta-metragem para apoio total de realização, com o valor de R$ 12.500,00 para cada um. A produção deverá ter duração mínima de cinco minutos e de, no máximo, 20. Para fazer a inscrição, é necessário que os alunos tenham pelo menos 18 anos e sejam estudantes do ensino superior das redes pública ou privada. A tema a ser desenvolvido no filme é livre.


A abrangência do edital, que compreende não só alunos dos cursos de Cinema, mas também estudantes de outros cursos, é um dos fatores essenciais para estimular a diversificação da produção audiovisual e inserir novos profissionais no mercado.


Veja como foi a premiação da primeira edição do ELIPSE 


Confira! Vencedores do projeto ELIPSE apresentam curtas no Cine Odeon

 

  • Equipe do filme “Infinito Periódico”
  • Equipe do filme “Roques de Quarto”
  • Equipe do filme “Pele Suja Minha Carne”

 


Desenvolvido através de uma parceria firmada entre a Fundação Cesgranrio e a Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro para estimular a produção de curta-metragens junto aos estudantes universitários, a primeira edição do Edital Elipse teve seu resultado divulgado no fim de 2015.

Entre 91 propostas inscritas, oriundas de nove instituições e cinco cursos universitários distintos, foram selecionados 12 projetos, contemplados com R$ 12.500,00, cada um. Os critérios para a eleição dos vencedores foram: mérito do projeto; importância da realização para a trajetória universitária do proponente; viabilidade de execução; e potencial de difusão do projeto proposto em espaços universitários e exibições não-comerciais.

Os filmes foram desenvolvidos por estudantes de universidades públicas e privadas. As produções tiveram duração mínima de cinco minutos e máxima de 15 minutos.

Em setembro de 2016, os 12 curtas-metragens foram exibidos no histórico Cine Odeon, localizado na Cinelândia, Centro da cidade do Rio de Janeiro, para um público de mais de 800 pessoas. Os filmes foram avaliados pela Comissão de Seleção dos Projetos, composta pelo diretor Bruno Safadi, a atriz Karine Telles e Afra Gomes, do Canal Brasil. Os três projetos que mais se destacaram ganharam o troféu Elipse 2016 e um prêmio no valor de R$ 2.000,00. Além disso, o Canal Brasil, parceiro da iniciativa, adquiriu os curtas, como parte de seu acervo, para futura divulgação.

Para o secretário do Centro Cultural da Cesgranrio, Leandro Bellini, o diferencial desse projeto reside em sua multidisciplinaridade e no incentivo à experimentação entre universitários:

– A abrangência do edital Elipse, que compreende não só alunos dos cursos de Cinema, mas também estudantes de outros cursos, como Estudos de Mídia e Produção Cultural, é um dos fatores essenciais para estimular a diversificação da produção audiovisual e inserir novos profissionais no mercado. O estímulo à produção de curtas universitários é uma das melhores formas de desenvolvimento de conteúdo audiovisual, porque alia a prática profissional à experimentação, ainda no ambiente acadêmico. Como a temática é livre, é possível desenvolver roteiros de ficção, documentários, reportagens e muitas outras formas de narrativas – afirmou Leandro.

 

Contemplados pelo Edital Elipse - 1ª Edição

  1. “Pele suja minha carne”, de Laís de Oliveira Diel Souza
  2. “Interferência 2.0”, de Lucas Afonso Corrêa de Almeida
  3. “Tabuleiro Catarina”, de Wesley Prado Heredia
  4. “Pequenos animais sem dono”, de Maria Julia Pereira de Paiva
  5. “Infinito Periódico” de Leandro de Souza Santos Luz
  6. “Vazio do lado de fora”, de Eduardo Brandão Pinto
  7. “A Cozinha Caiçara: sabores, memórias e territórios”, de Karen Garcia Oliveira
  8. “O Poste”, de Thiago Hueb Dib Assunção
  9. “TransBaixada”, de Renan Collier de Medeiros
  10. “Vestido Sujo de Sangue”, de Rodrigo Ribeiro da Silva Freitas
  11. “Loufailândia”, de Jorge Antônio Paciello Polo
  12. “Pedacinho do Céu”, de Caio Medeiros Alvarenga