Não existe educação sem cultura

A Catedral de Petrópolis – Livro

 

Santuário da Memória da Cidade Imperial

Lançado no dia 27 de abril de 2016, O livro “A Catedral de Petrópolis: Santuário da Memória da Cidade Imperial”, de autoria do Bispo de Petrópolis, Dom Gregório Paixão, OSB, é uma parceria entre a Fundação Cesgranrio e a Diocese de Petrópolis.

A obra atende a uma exigência da Catedral que é ter um material com dados que possibilite a pesquisa de todos, sejam pesquisadores, historiadores ou o público de modo geral. “A partir de agora, quem for escrever ou fazer qualquer trabalho sobre a Catedral conta com um material técnico com dados e fontes de todo conteúdo do livro”, comentou Dom Gregório Paixão.

Um dos dados importantes do livro são as notas técnicas, seja das fontes pesquisadas quanto das fotos que aparecem nos livros, que permite a todos saber a origem de todas as informações. O conteúdo fotográfico do livro, seja com as fotos produzidas pela fotógrafa, Renata Santos ou dos arquivos históricos da cidade de Petrópolis, como Museu Imperial e Palácio Grão Pará, também são preciosidades, como o resgate da foto da antiga Igreja Matriz de Petrópolis, demolida após a construção da Catedral.

 

A partir de agora, quem for escrever ou fazer qualquer trabalho sobre a Catedral conta com um material técnico com dados e fontes de todo conteúdo do livro.

Dom Gregório Paixão

 

No livro, com detalhes surpreendentes e alguns desconhecidos do grande público, Dom Gregório Paixão chama atenção para a importância que teve o Imperador e sua filha na construção da Catedral de Petrópolis. “É importante destacar que a construção da Igreja Matriz da Cidade já estava prevista no decreto de criação de Petrópolis pelo Imperador e que foi assumida por sua filha, a Princesa Imperial, que mesmo no exílio fez todos os esforços para que a obra fosse concluída”, comentou o Bispo Diocesano.

 

 

 

 

livro-catedral-de-petropolis-dom-gregorio

Sobre o autor

Dom Gregório Paixão, OSB é bispo da Diocese de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Obteve os graus de mestre e doutor em antropologia. Teólogo, dedicou-se ao ensino de língua grega, homilética e antropologia cultural. Desenvolve intensa atividade pastoral, além de ser membro do conselho para a implantação do Tratado Brasil-Santa Sé, do Instituto Histórico de Petrópolis e Sócio Honorário Brasileiro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. É autor de quinze livros, dedicando-se, especialmente, às áreas teológicas e do patrimônio cultural.